Número total de visualizações de página

momentos

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

"O talento mora aqui"

Um Romance pouco ‘Arromançado’

Leonor Sepanas, 7º A

                 Estava a passear pelas ruas de Robertina* e, de repente, vejo uma Amélia**: careca, a vender peixe, com olhos de desleixo e também marreca, mas não faz mal. Confesso que não dava para modelo com aquela cara sem cabelo… Ui! E aquele cotovelo mais parecia um novelo. Mas não faz mal. Cabeça, tronco e pés lá estavam.
            Tentei dar uma piscadela, assim como uma olhadela marotinha. A minha donzela – nada, nadinha! Procurei um ramo de flores, já o tinha usado com outros amores. Esta conquista já parecia a do Boa Vista! Quando, finalmente, consegui prendê-la no meu coração ofereci-lhe um salmão do Aliexpress. Coitada da mulher, já lhe estava a dar o stress! Antes que lhe desse um fanico e alterasse o namorico pus o joelho no chão. À pergunta de casamento respondeu-  -me que sim e mudou a face como com pós de perlimpimpim.
             O dia do tal evento chegou. O padre rezou pr’ali umas palavra, atiraram-nos nos arroz e pronto! Está a boda feita! Bom, com uns dias para planear não me espanta nem me encanta. Fomos então para a Lua de Mel, que isto já estava a ficar amargo. O pior de tudo foi, mesmo, o pago. Nenhuma nota, nenhuma moeda, nada para pagar. Ai, que ia tudo pelo ar… mas a voar, porque espertos como somos conseguimos arranjar lugar e na cadeira da Inês, aquela que mora no 33, nos sentar.
            Como qualquer casal, juntamos os trapinhos e trouxemos o enxoval. Instalamo-nos na casinha onde vivemos até agora.
             Posso dizer que, agora com 4 554 meses, não me orgulho com as escolhas que fiz, em jovem. Agora que sou homem – velho, mas não faz mal – vejo-me grego para dizer à moça: ‘’Lava a louça’’. Se me atrevo, dispara com um relatório sobre as pernas que têm carácácá e a anca que perdeu no Panamá… Enfim… é só conversa da má!

*cidade capital da Terra da Imaginação
**habitantes de Robertina que são resmungões e, normalmente, já apresentam uma idade avançada (que não é o caso da personagem)